• Luiza Carvalho

A melhor resposta de todos os tempos para discussões polêmicas

Atualizado: 26 de Dez de 2019


Esses dias vi uma postagem no Twitter que me fez pensar por horas, até eu concluir o quanto aquele pensamento era sensacional e resumia tudo o que eu penso sobre tanta coisa: e se diante de todas as situações que por algum motivo te incomodam, mas não são sobre sua vida e sim sobre a vida dos outros, você responder "por mim ok"? Exemplos aleatórios:

Aquelas duas mulheres se amam, querem se casar e adotar vários filhos.

Por mim ok!

Fulano é homossexual.

Por mim ok!

A mulher engravidou, mas quer abortar.

Por mim ok!

Um casal decidiu que não vai ter filhos porque não gostam muito de crianças ou querem ter outro objetivo de vida.

Por mim ok!

Já aquele outro casal decidiu que quer ter 15 filhos!

Por mim ok!

Aquela mulher tem cabelo liso e quer enrolar. A outra tem cabelo cacheado e quer alisar.

Por mim ok!

Fulano é ateu, porque para ele é óbvio que Deus não existe.

Por mim ok!

Fulano decidiu que quer fazer tatuagens até fechar o corpo todo.

Por mim ok!

E eu poderia ficar aqui por horas citando exemplos. Mas essa é uma simples resposta a tantas questões: se determinada situação não diz respeito à sua vida, então quem tem que decidir se está feliz ou não com aquela escolha é unicamente a pessoa a quem o fato diz respeito. Eu posso discordar e ter uma opinião diferente? Claro. Mas eu não posso obrigar ninguém a seguir o meu pensamento, a minha crença ou o que eu acho que é certo. O que eu quero escolher para minha vida é uma decisão minha, e as consequências serão minhas. Simples assim. Independente do que outras pessoas julguem ser o correto, cada um tem o livre arbítrio para escolher seus caminhos, suas atitudes e suas decisões. Imagina se todo mundo parasse de achar que tem o direito de julgar o que é certo ou errado para a vida dos outros?

A questão do aborto, por exemplo, é algo que tem gerado muita polêmica. E a minha opinião é a seguinte: aborto existe e continuará existindo, independente de ser legalizado ou não. Independente se a sociedade acha certo ou não. A diferença é que quem tem condições, paga e faz sem correr risco de vida. Já quem não tem dinheiro, faz em qualquer lugar e acaba morrendo em uma clínica clandestina. E se essas mulheres pudessem fazer de forma segura, sem correr risco de morrer? Legalizando ou não, vão continuar fazendo. Então que seja feito de forma segura.

Nossa Luiza, mas e aquela vida indefesa? Você não é a favor da vida? Você não pensa que ali tem um coração que já está pulsando? Você não tem coração? Ok, vamos com calma.

Eu não concordo com o aborto. Eu nunca abortaria! Não consigo imaginar que eu seria responsável por tirar a vida de um pequeno ser, que só tem a mim naquele momento. Isso vai contra meus princípios e vai contra o que acredito na minha religião.

Mas eu não me vejo no direito de dizer o que é certo ou errado na vida de outra pessoa. Se uma mulher quer abortar, ela tem motivos que são só dela, e não me dizem respeito. Se isso trará consequências, serão apenas dela, e não minhas. Se ela vai se arrepender um dia ou sofrer com o peso na consciência, isso será um problema dela e não meu. Então... por mim ok. Não é minha vida, então o que eu acho ou deixo de achar não importa. E ponto.

Espero ter conseguido explicar esse ponto de vista. Só queria dividir minha reflexão solitária aqui com alguém. Porque eu acho que o "por mim ok" foi a melhor resposta de todos os tempos! E se você não tiver concordado com nada que escrevi aqui, não tem problema não. Por mim ok. Sério.

#Textospessoais

124 visualizações