• Luiza Carvalho

Project Black Pantera: banda de Uberaba embarca para a 2ª turnê na França

Atualizado: 26 de Dez de 2019


Oi pessoal, tudo bem? Hoje quero apresentar a vocês uma banda uberabense: é o Project Black Pantera, que vai embarcar para sua segunda turnê pela França levando toda nossa brasilidade a um mega festival em Paris!

Nesta semana tive a alegria de poder entrevistar o Rodrigo Augusto, baterista da banda, e trago a vocês todos os detalhes da apresentação deles no Domingo na Concha e também na França, contando um pouco sobre a banda e sobre o repertório desse projeto de sucesso. Quem também esteve comigo nesta entrevista foi minha colega de trabalho, a jornalista e fotógrafa Ruth Gobbo. Obrigada pela parceria, Ruth!

O Project Black Pantera, para quem ainda não conhece, é um trio formado pelos irmãos Charles Gama na guitarra, vocal e letras e Chaene da Gama no baixo, além do Rodrigo Augusto (Pancho) na bateria. A banda foi criada em abril de 2014 e já abriu shows de bandas de expressão do cenário nacional, como o DeadFish, Project 46, O Rappa e Sepultura. Com influências como BadBrains, Rage Against the Machine, Motorhead, James Brown e Tupac, entre outros, esta é a segunda vez que a banda Project Black Pantera está embarcando para a Europa: na primeira turnê os músicos participaram do Festival Afropunk, que aconteceu em Paris. Neste ano o show será no Download Festival, no mesmo dia em que o evento recebe nomes como Slayer e System of a Down! Além disso, a banda já tem shows confirmados em Boudeaux, Nantes, Montpellier e Antibes. Outra novidade é o clipe da música “O Último Homem em Pé”, lançado nesta sexta-feira (2). A nova música, lançada oficialmente no mês passado, já está com mais de 8 mil acessos no serviço de streaming Spotify.

Despedida: Domingo na Concha

O Domingo na Concha do dia 4 de junho vem trazendo ao público o show “Bom Voyage, Black Pantera”, que vai marcar a despedida da banda uberabense antes de seguirem viagem para a França. No palco, a galera do Black Pantera recebe vários convidados para um grande show com diversos estilos musicais, e entre as atrações já confirmadas estão BQuatro, Mané Galinha, Jean Carlo e a Complexidade Atômica, Erva Matt, Leo Palhares, Leslye de Paula, Toi e Dj Nenê, Ricardo Moraes e Mario Fernando. Com tanta gente talentosa, já dá pra imaginar que a Concha vai lotar, né? Não dá pra ficar de fora! O evento, que acontece das 11h às 14h, é uma realização da Prefeitura de Uberaba por meio da Fundação Cultural. Sobre tocar no Domingo na Concha, Rodrigo contou que o local tem energia especial e diferenciada. “Eu não sei explicar porque, mas a Concha é o lugar mais legal de tocar. É um lugar muito democrático pois o público vai em família, a gente pode levar nossos filhos e nossos pais”, destaca o baterista. “A Concha Acústica é onde podemos tocar com a presença de todo mundo, com a energia do ar livre e com os amigos. Todo mundo quer tocar na Concha. E ano passado antes da turnê foi assim, a gente também quis fazer a despedida na Concha”, conta ele.

Vale lembrar que durante o Domingo na Concha todo mundo poderá apoiar adquirindo CDs, camisetas e até uma cerveja da banda. E o mais legal: também estará a venda a nova camiseta da turnê, com arte feita por uma artista francesa de Nantes! Bora comprar e apoiar, gente! Eu já vi a arte da camiseta e posso adiantar: ficou foda!

Download Festival Com muito carisma, talento e toda a personalidade própria, que é traduzida nas músicas autorais e presença de palco marcante, o Project Black Pantera conta que a oportunidade da segunda turnê na França aconteceu por meio do Festival Afropunk, onde conheceram um grande produtor musical que faz parte da organização dos maiores festivais de Paris. “A gente estava no lugar certo e na hora certa, pois este produtor é que faz o Download Festival. E quando a gente acabou o show ele veio conversar e disse que gostou demais da nossa banda, chegando a falar do Download ano passado pra gente. Continuamos fazendo contato com ele e rolou o convite. E a partir disso fomos fechando outras datas na França”, explica Rodrigo. O baterista revelou que para o show no Download Festival, em que tocam no palco SpitFire abrindo o evento no dia 10 de junho, a banda leva a música nova e mais duas músicas do novo álbum. “Além disso também vamos com as músicas que todo mundo já conhece, que já são as clássicas da banda. Também estamos com um cover de uma banda que é referência nossa, que se chama Bad Brains”. No Festival Afropunk em Paris, Rodrigo relembra que o Black Pantera tocou repertório 100% autoral, mostrando seis músicas do primeiro álbum cantadas em português, e a aceitação do público superou as expectativas.“Esse estilo de metal que a gente faz, já tem muita banda que faz em inglês, então acho que o diferencial foi ter cantado em português”, reforça o baterista, que agradece ainda o apoio de Uberaba. “Na cidade inteira é um apoio muito grande. É muito bonito. Acho que as pessoas estão sentindo orgulho de ver algo que nasceu na cidade, e as pessoas sentem que se a gente está conseguindo trilhar nosso espaço, todo mundo pode também, é preciso acreditar e correr atrás”.

E a máscara?

Você deve ter percebido nas fotos que o Black Pantera tem uma marca registrada: é a máscara do baterista, que na verdade não é o Rodrigo: é o Pancho! Ele conta que tudo surgiu de uma brincadeira. "Antes do primeiro show da banda eu achei essa máscara em uma loja de fantasias e, não sei porque, eu comprei ela. Cheguei no ensaio com a máscara e eles gostaram muito! O Charles e o Chaene falaram que eu tinha que usar aquela máscara e fazer o show com ela. E rolou demais, tiramos umas fotos e ficou visualmente impactante. Agregou", conta Rodrigo.

Como o baterista é músico freelancer e toca em vários projetos e bandas, a máscara acabou se tornando um personagem que toca com o Black Pantera. "Hoje eu só toco na banda com essa máscara e tem até um nome, se chama Pancho. Eu acabei criando um personagem que só toca com o Black Pantera. O Rodrigo é o cara trabalhador e músico freelancer, é o cara que toca de tudo, e o Pancho é o personagem que toca com o Black Pantera. Eu gravo as músicas com a máscara, ensaio com a máscara, não consigo tocar as músicas sem ela. Já faz parte".

Espero muito que tenham curtido o post, pessoal! Adorei fazer esta entrevista, e estou na torcida para que o Black Pantera alcance sempre mais e mais sucesso. Eu sempre digo: Uberaba tem muuuito talento e artista de qualidade! Que eles possam ser cada vez mais apoiados e valorizados.

Até a próxima!

<3

#Música #Uberaba #Cultura #Jornalismo

61 visualizações